Principais pilares da Gestão de Pessoas

A valorização dos funcionários dentro de uma empresa vem se tornando um tema muito abordado nas organizações que têm um RH desenvolvido e voltado para o capital humano. O investimento no desenvolvimento profissional dos colaboradores tem o potencial de fazer com que essas pessoas trabalhem mais satisfeitas e engajadas, trazendo resultados significativos para as empresas.

E é nesse conceito que entra a gestão de pessoas, uma prática utilizada para o crescimento consistente de empresas, uma junção de atividades voltadas para os profissionais da empresa: aproveitar os talentos contratados, direcionar o trabalho da área de RH e garantir os melhores resultados das equipes.

Quais são os principais pilares da gestão de pessoas?

Agora que você entendeu a importância gestão de pessoas, com certeza já percebeu como é fundamental investir na valorização do capital humano.

Mas para uma administração eficiente, é necessário diagnosticar as necessidades dos colaboradores e da organização e, com essas informações, tomar medidas a fim de garantir a evolução e o crescimento interno da empresa. Para isso, é necessário embasar seu trabalho nos pilares da gestão de pessoas, que possibilitam uma atuação ainda mais estratégica e eficaz. Veja quais são:

1. Motivação

A motivação é um dos principais pilares da gestão de pessoas, como já mencionamos na matéria sobre capital humano, um funcionário que trabalha mais motivado tende a ser mais produtivo. É através da motivação que conseguimos construir uma estrutura para os demais pilares, pois ela é a base para que a gestão de pessoas tenha resultados.

Vários motivos podem causar a desmotivação nos funcionários de uma empresa, por exemplo: a falta de propósito dentro de uma corporação, cultura organizacional não definida, entre outros. O foco da pessoa responsável pela gestão de pessoal é eliminar esses fatores que causam desmotivação.

Para iniciar esse processo, é necessário identificar se o sentimento é coletivo ou individual em algum profissional, após essa análise, é importante descobrir nos casos isolados o que está levando ao desinteresse, principalmente porque um funcionário desengajado pode influenciar toda a equipe.

Para maior compreensão sobre maneiras de motivar a equipe, veja a nossa matéria sobre capital humano.

2. Liderança

Para coordenar uma equipe é necessário que haja liderança, uma vez que bons líderes são a base de um time de alta performance. Incentivar a sua equipe e incentivar esses talentos fará com que os funcionários trabalhem mais motivados e engajados, principalmente se forem liderados por alguém que possa ser espelhado.

Por essa razão, o papel do RH é desenvolver os coordenadores da empresa, de forma que eles estejam aptos a serem referência para os colaboradores. Os líderes devem valorizar soft skills como: a boa comunicação, relacionamento interpessoal e, sobretudo, um olhar humanizado sobre a equipe.

3. Comunicação

Quando falamos de liderança e processos de gestão de pessoas, um ponto muito importante é a comunicação. Um processo bem estruturado de comunicação eficiente e sem ruídos é muito complexo e, por esse motivo, esse processo ainda sofre muita deficiência dentro das empresas. Mas esse é um pilar essencial para a organização, por isso, deve ser uma meta para a gestão de pessoas.

A comunicação de um gestor deve ser transparente, segura e deve possibilitar que os demais funcionários também se comuniquem com ele, pois eles também sentem a necessidade de serem ouvidos por seus gestores e, quando eles se sentem sem voz, tendem a ficar desmotivados. Quando a organização promove a prática da comunicação transparente e inclusiva, os talentos se sentem mais seguros em expor suas ideias e fazer a diferença. Essa comunicação mais assertiva faz com que os ruídos diminuam e, com isso, a empresa passa a ganhar a confiança de seus funcionários.

Para quebrar esses paradigmas da comunicação corporativa é necessário que o RH trabalhe para diminuir os ruídos que envolvem o ambiente corporativo. Uma forma de fazer isso é trabalhar uma comunicação mais ampla, envolvendo todos os níveis de hierarquia na empresa.

5. Capacitação

Esse pilar exige um investimento da parte da empresa, o qual será destinado para treinamento e desenvolvimento dos funcionários. A gestão de pessoas deve investir na capacitação dos seus profissionais, esse é um ponto muito importante na valorização do capital humano.

Investir no desenvolvimento dos talentos é uma das formas de garantir que eles continuem na empresa. Lembrando que os profissionais mais capacitados produzirão resultados ainda mais satisfatórios.

6. Trabalho em equipe

Para alcançar os objetivos da empresa é necessário saber trabalhar em grupo, essa habilidade deveria ser uma premissa para todos que trabalham em grupos e, ainda mais, para os gestores.

O ideal para a gestão de pessoas quando falamos em trabalho em equipe é entender a necessidade de fortalecer a interação entre os membros do time para que eles estabeleçam relações de parceria e crescimento entre si.

7. Participação

Ter funcionários participativos dentro da empresa é de extrema importância para introduzi-los na cultura organizacional da empresa, quanto mais imersos maiores as chances de engajamento e motivação dos mesmos.

Além dos benefícios citados acima, o funcionário que é participativo consegue absorver as informações e comunicações da empresa, e é através desses funcionários que a emprese conseguirá ter um alcance maior nos seus processos de comunicação.

Nesse contexto não dá para imaginar o sucesso da empresa sem o envolvimento das pessoas. O engajamento começa no movimento de tornar o capital humano, o centro de atenção da empresa, pois é dele que vem a força e o ritmo de trabalho.